PS vence em Santo Tirso em linha com tendência nacional

Socialistas crescem ligeiramente em relação a 2014 no global do concelho. Bloco de Esquerda e PAN sobem em flecha. Resultado desapontante para a CDU. PSD e CDS ficam a fazer contas à vida.

O Partido Socialista foi o vencedor das eleições para o Parlamento Europeu na contagem global do concelho de Santo Tirso. A lista liderada por Pedro Marques arrecadou 41,9% dos votos um crescimento que rondou os quinhentos votos relativamente a 2014 e vitórias em treze das catorze freguesias.

As grandes surpresas da noite eleitoral tirsense foram as subidas estratosféricas do Bloco de Esquerda e do PAN (Pessoas, Animais e Natureza). Os bloquistas conseguiram também em Santo Tirso alcançar a posição de terceira força política, arrecadando 7,9% dos votos que se traduz num acréscimo de mais de mil votos, fixando-se nos 1829 quando em 2014 tinham ficado pelos 754.

No caso do PAN os números são ainda mais extasiantes. Em 2014, o partido tinha conquistado 299 votos e em 2019 esse número passou para os 978, portanto mais do que triplicou a votação no concelho de Santo Tirso.

À direita, as contas são outras. O PSD ficou-se pelos 22% dos votos e o CDS nos 5,6%, com 5061 e 1279 votantes respetivamente. Somados os dos partidos acumularam 6340 votos enquanto em 2014, em coligação, tinham obtido 6581.

Contudo, a grande derrotada em Santo Tirso foi mesmo a CDU que caiu de terceira força política em 2014, com 7,6%, para quinto lugar em 2019 conquistando apenas 3,8% dos votos. Em valor total de votos os números são mais assustadores já que a coligação PCP/PEV caiu dos 1819 para 869 votantes.

Quanto aos restantes, destaque para o desaparecimento praticamente total da lista de Marinho e Pinto que em 2014 tinha conseguido 7,2% (1726) e ontem ficou-se por 0,5% (115). O Livre de Rui Tavares acabou por ser o melhor dos outros em Santo Tirso arrebatando 1,2% dos votos ficando à frente da Aliança de Santana Lopes que se ficou por 1%.

 Vila das Aves ‘rosa’

O PS venceu também largamente a votação na Vila das Aves. Os socialistas chegaram aos 39,7% o que se traduz em 1093 votos no total, menos dois do que em 2014. O PSD registou uma ligeira descida nas urnas avenses ficando-se pelos 21,2% e 582 votos. Concorrendo coligados com o CDS, os sociais-democratas tinham arrecadado 27% dos votos em 2014. Os centristas, aliás, conseguiram chegar aos 5% num total de 137 votos. Somando as duas forças políticas arrebataram 719 votos, uma perda ligeira face às última ‘europeias’.

Também na Vila das Aves as grandes sensações da noite foram o Bloco de Esquerda e o PAN. Os bloquistas mais do que duplicaram a votação de 2014 chegando 9,2% e 254 votos no total, quando em 2014 tinham-se ficado pelos 111 votantes. O PAN deu um salto de gigante, passando de apenas 43 votos para os 123 com 4,5% dos votos avenses.

A CDU teve uma queda superior a uma centena de votos na Vila das Aves arrecadando 3,8% e um total de 106 votos.

Na liga dos outros, o Livre foi o melhor dos partidos que não conseguiram eleger eurodeputados nos boletins de voto da Vila das Aves. A lista encabeçada por Rui Tavares conseguiu 1,6% dos votos e um total de 44 votos. De seguida, o “Nós, Cidadãos” de Paulo Morais com 1%, a coligação “Basta!” com 0,9% e a Aliança com 0,8%.

No que diz respeito à abstenção, no concelho de Santo Tirso registou-se nos 63,1% ligeiramente inferior a 2014, enquanto na Vila das Aves o número fixou-se nos 63,2% um tudo nada acima das últimas ‘europeias’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.