[Opinião] Aos 68 anos, estamos a crescer ou a envelhecer?

CRÓNICAS/OPINIÃO Rui Baptista

Esta semana decidi experimentar a recente aplicação de inteligência artificial que escreve textos mediante uma premissa, chamada Chatgpt. Inclusive há dias o jornal I publicou uma edição onde 100% das sua noticias foram escritas por este robot, é incrível, mas ao mesmo tempo assustador.

Então decidi colocar a seguinte pergunta ao Chatgpt: “O papel das Câmaras Municipais no desenvolvimento local”

O Chatgpt escreveu o seguinte texto:

“As câmaras municipais têm um papel importante no desenvolvimento local, pois são as principais responsáveis pela gestão dos municípios e pelo planeamento e implementação de políticas públicas que atendam às necessidades da população local.

Entre as principais responsabilidades das câmaras municipais estão a gestão dos serviços públicos, como saúde, educação, transporte, segurança, limpeza urbana e manutenção de infraestrutura. As câmaras também são responsáveis por promover o desenvolvimento econômico local, criando condições favoráveis para a atração de empresas e investimentos, estimulando o empreendedorismo e apoiando as atividades econômicas locais.

Além disso, as câmaras municipais devem planear o desenvolvimento urbano e territorial, garantindo o uso adequado do solo e a preservação do património histórico e cultural local. Elas também podem implementar políticas públicas para a promoção da cultura, desporto, lazer e turismo, contribuindo para a qualidade de vida da população e para a valorização da identidade local…”

O robot descreveu claramente as obrigações de uma câmara municipal e, neste mês que assinalamos o 68º aniversario de elevação a vila da nossa freguesia, temos alguma dificuldade em decifrar estas obrigações na actividade da Câmara de Santo Tirso em Vila das Aves.

Nos últimos anos o que temos assistido é um conjunto de promessas sobres obras que já estão atrasadas e que, mesmo assim, não passam disso mesmo. Todos os anos, no aniversário da Vila das Aves, assistimos sessões que servem para os autarcas de Santo Tirso virem cá prometer o que há muito já nos foi prometido, mas no ano seguinte, temos novas promessas sem as anteriores terem passado disso. A conclusão do Verdeal e a requalificação da Av. 4 de Abril são exemplos disso.

Este ano foi-nos oferecida como prenda de aniversário a requalificação do edifico da Junta de Freguesia na Tojela. Finalmente há um rumo para aquele edifício, sem conhecer em concreto o projecto não poderei pronunciar-me, no entanto realço a rapidez com que foi feito, ainda em janeiro estavam a recolher ideias e dois meses e meio depois já temos um projecto. Esperemos a mesma rapidez para ser executado.

A nossa terra, aos 68 anos, está pior que uma pessoa que entrou na idade da reforma. À medida que vai somando anos entrou na fase do envelhecimento, está à espera que os dias passem, sem futuro e sem ambição de continuar a crescer, está apenas a viver o dia-a-dia.

Destes 68 anos de vila, nos últimos 25 anos temos dificuldade em encontrar investimentos que fizessem e modificar a nossa terra e a nossa qualidade de vida. A Vila das Aves que temos hoje em termos de empresas, urbanismo e infraestruturas surgiram e desenvolveram-se em grande medida há mais de 25 anos.

Do que vemos por parte da Câmara, parece que não será nos próximos anos que as coisas vão evoluir, exemplo disso é ainda andarmos a falar do Parque do Verdeal, um projecto da década de 90.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

3 + 10 =