[Crónica] Pode Alguém Ser Quem Não é?

CRÓNICAS/OPINIÃO Fátima Pacheco

A influência dos Estados Unidos da América é muito grande no Brasil. Há uma tentativa de clonar aquela sociedade cultural e económica visto ser, para uma grande maioria das pessoas, o ideal pois as pessoas ganham bem, têm sempre trabalho, pagam menos impostos, há uma profusão de igrejas o que lhes permite afirmar haver liberdade religiosa… ainda que possam ser demitidos em qualquer momento, tenham de pagar tudo da saúde (ou melhor da doença), as universidades são caras, se regista grande violência (também policial), há guetos onde residem hispânicos, negros e outras culturas consideradas menos desejadas.

A exemplo do que aconteceu nos USA, aqui também há uma grande dificuldade de se compreender o que é a alternância democrática. O respeito pela decisão da maioria da população no ato democrático que foi o segundo turno das eleições tem sido repudiado por aqueles que se consideram opositores ao eleito. Incrível é verificar a quantidade de notícias falsas que circulam em grupos de WhatsApp, e haver pessoas que acreditam em tudo o que lá aparece. Vou exemplificar: “gente, vão colocar Paulo Freire como ministro da educação!!” sendo que esse educador já morreu em 1997; colocaram a fotografia de Lady Gaga afirmando ser ministra do Tribunal de Haia que acusaria a fraude das urnas; usam cartazes a exigir liberdade suplicando na porta de quarteis uma intervenção militar…

Como falou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral a 19 de dezembro haverá a diplomação dos novos governantes, a 1 de janeiro será passada a faixa presidencial. Assim como nos idos de 2020 com a derrota de Trump, parece que aqui há quem aguarde algum “milagre” pois se mantém nas ruas recusando e repudiando aquilo que em democracia pode acontecer: uns perdem e outros ganham.

Longe de defender este ou aquele, o importante é que qualquer que seja um resultado eleitoral haja a maturidade para que os novos governantes saibam preservar as instituições democráticas porque é primordial que o povo possa viver em paz.

E como pode alguém ser quem não é… anseio que este país continental saiba viver a democracia que conquistou a largas penas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

4 × 1 =