[Opinião] Pontos sem nó

Castro Fernandes CRÓNICAS/OPINIÃO

1 Pedro Nuno Santos, que não costuma dar ponto sem nó, visitou recentemente Santo Tirso para apresentar as obras de reestruturação viária nos nós de Fontiscos e da Ermida. As obras a executar no âmbito do PRR (Plano de Recuperação e Resiliência) atingem um montante de 3,2 milhões de euros e constam fundamentalmente de duas rotundas e respetivas ligações às zonas empresariais, onde se situam algumas importantes unidades industriais e também significativas áreas residenciais. Estes investimentos constavam da relação inicial aquando da apresentação do PRR, em 2020, e constituem parte de um processo que na minha opinião deve incluir, em eventuais reforços, a duplicação das variantes à Santo Tirso que desde que foram construídas, em 1991, não mais tiveram qualquer evolução construtiva feita pelo Estado, a não ser a rotunda de Frádegas que teve a comparticipação das Infraestruturas de Portugal (IP). De realçar também o facto de o Ministro Pedro Nuno Santos ter referido que até final do presente ano se conhecerá o Estudo Prévio da variante à EN-105 entre a ponte da Reboreda, no final das atuais variantes, e a rotunda de Água Longa na ligação à A41, tal e qual está plasmada no Plano Diretor Municipal de Santo Tirso aprovado em 2011. Aguardemos pelas boas novas.

2 A propósito, refira-se a forma como o Presidente da República se dirigiu no passado fim de semana à Ministra da Coesão, Ana Abrunhosa, colocando-a em cheque, caso não tivesse uma execução capaz do PRR, quando não é a ela que compete gerir o PRR, mas sim à número dois do governo, a Ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

O Primeiro Ministro, referindo-se ao Presidente da República, disse que ele por vezes tinha uma certa “criatividade” e que era o seu “estilo”! Também interessante foi a referência indireta do PR, Marcelo Rebelo de Sousa, quando se referiu a Marques Mendes, que não estava presente, por se mostrar “obstinado “… com a candidatura a PR, digo eu?

“Manuel Pizarro é Ministro da Saúde e será certamente um ministro competente porque ascende da medicina hospitalar pública, mas também conhece bem a medicina privada. É um profundo conhecedor do sistema nacional de saúde”

3 Realizaram-se no passado fim de semana eleições para as federações distritais do PS. Manuel Pizarro, que era o Presidente da Federação Distrital do PS Porto, decidiu não se recandidatar, tendo sido eleito Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara de Gaia e da Área Metropolitana do Porto (AMP).

Aqui faço a minha declaração de interesses, já que desde 2015 acompanho, no Secretariado Distrital do PS/Porto, Manuel Pizarro. Já o conhecia muito bem politicamente desde tempos anteriores e acompanhei o seu trabalho como Secretário de Estado da Saúde entre 2008 e 2011. Apoiei-o nas suas candidaturas à CM do Porto em 2013 e 2017. Com ele lutamos, com todas as nossas energias, pela eleição de António Costa para Secretário-Geral, em 2014, e depois para Primeiro-Ministro em 2015.

Agora, Manuel Pizarro é Ministro da Saúde e será certamente um ministro competente porque ascende da Medicina Hospitalar pública, mas também conhece bem a medicina privada. É um profundo conhecedor do Sistema Nacional de Saúde. Contudo, não se recandidata porque há quem entenda que são incompatíveis os cargos de Ministro da Saúde e Presidente da Federação. Posso eventualmente compreendê-lo, só não entendo como os seus colegas de Governo, Duarte Cordeiro, é presidente da Federação de Lisboa e Ministro do Ambiente, António Mendes, presidente da Federação de Setúbal e Secretário de Estado para os Assuntos Fiscais e, Miguel Alves, presidente da Federação Distrital de Viana do Castelo e Secretário de Estado Adjunto do Primeiro Ministro! Manuel Pizarro vai ter um novo percurso de vida política, só espero que o Porto e o distrito não fiquem a perder no seu todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

10 + 16 =