[Opinião] Estacionar sai caro

CRÓNICAS/OPINIÃO Rui Baptista

1Na ultima Assembleia Municipal a maioria socialista aprovou a concessão da exploração de estacionamento a privados. Este tema surge em 2018 quando a Camara de então decidiu privatizar os lugares de estacionamento da cidade.

Na altura escrevi aqui que essa decisão era um contrassenso com aquilo que a Câmara apregoava na altura: a boa saúde financeira (resultado liquido de 1.7M€) e o plano de mobilidade sustentável onde esta medida em nada beneficiava, mas sim uma politica de transportes públicos eficazes.

Ora 4 anos depois do inicio deste concurso os lugares de estacionamento serão concessionados à empresa ESSE e o que fica é um aumento de 50% no custo de estacionamento para os cidadãos e uma diminuição de parques gratuitos, como um dos parques da Câmara.

No momento em que o estacionamento na cidade passa a privado o Câmara anuncia um resultado liquido de 5,6 milhões de euros. Tal como disse em 2018, os bons resultados da gestão financeira não devem trazer vantagens para o dia-a-dia dos munícipes? Essa boa saúde financeira não deve traduzir em menor custo de vida das pessoas? Se a Câmara tem boas contas qual a necessidade de vender a privados direitos de gestão de espaços públicos?

A única vantagem que a Câmara consegue identificar é que vamos ficar com melhores parquímetros e com mais opções de pagamento do estacionamento.

Esse investimento não poderia ser feito pela Câmara depois seria amortizado pela receita do estacionamento? Se a gestão do estacionamento não impactou as contas do município qual a necessidade o vender por 9,4 milhões de euros a um privado que aumentou e 50% o custo de estacionamento da cidade?

“Continuo a achar que uma cidade pequena como Santo Tirso não tem escala para concessionar o estacionamento a privados e ao mesmo tempo ter uma redução de preço. Pois a capacidade de cobrar seria melhor.”

Rui Baptista

O comercio local e os residentes sentirão mais impactos adversos que positivos, este aumento de preço não incrementa a rotatividade, mas sim a fuga do estacionamento no centro e compete directamente com os parques gratuitos das grandes superfícies comerciais.

Continuo a achar que uma cidade pequena como Santo Tirso não tem escala para concessionar o estacionamento a privados e ao mesmo tempo ter uma redução de preço, pois a capacidade de cobrar seria melhor. O parqueamento da cidade de Santo Tirso só é apetecível a privados se for a um preço considerável.

Em conclusão, nenhum tirsense ganha com isto, o que a Câmara ganha com esta concessão, se a sua saúde financeira está boa?

Será que foi mais uma herança do Dr. Joaquim Couto?

2Uma nota para o 67º aniversário de elevação a vila da nossa freguesia: Vila das Aves.

Registo com admiração e alguma tristeza que após estes anos de pandemia a Junta de Freguesia não tenha realizado as festas da vila. Após estes 2 anos seria bom que ao comemorarmos uma data importante para todos os avenses, pudesse haver alguma diversão, mas acima de tudo envolver as associações da terra e estas poderem mostrar-se novamente aos avenses e também fazerem alguma receita que tanta falta faz.

No lugar disso, optou-se por uma cerimonia no salão nobre apenas para “prestar vassalagem aos senhores de Santo Tirso”.

Aguardemos, talvez pelos 70 anos em 2025 teremos umas comemorações feitas para os avenses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

four × 2 =