[Editorial] Os homens do jogo: Diogo e Vítor

CRÓNICAS/OPINIÃO Diretor

A seleção nacional de futebol está a disputar, na Alemanha, o campeonato da Europa da modalidade. Entre os atletas que maior destaque têm merecido quer na imprensa desportiva mundial quer na apreciação geral dos adeptos contam-se os nossos conterrâneos Diogo Costa e Vítor Ferreira. No jogo da fase de grupos conta a República Checa, Vítor, conhecido como Vitinha, foi premiado com o troféu de “Homem do Jogo”, o que demonstra a influência que teve no desenrolar da partida.

No muito sofrido jogo com a Eslovénia dos oitavos de final, o nosso craque foi substituído a meio da segunda parte, apesar de ter sido, até aí, um dos melhores em campo. Uma decisão que só o selecionador poderá explicar e que não se mostrou capaz de para resolver o jogo.

Ficou para o Diogo a tarefa de resolver a eliminatória: primeiro com uma defesa que parecia impossível, num frente a frente com o avançado esloveno e, depois, com uma atuação fabulosa, defendendo as três grandes penalidades do desempate final, tornando-se assim no “Homem do Jogo”.

Para o selecionador nacional, Diogo Costa era “o segredo oculto do futebol europeu”, mas, para quem tem acompanhado a sua carreira, o segredo já foi revelado há muito. Em março de 2016, neste jornal, apresentávamos Diogo Costa com foto de capa e a notícia de que, com 16 anos, fora convocado para a seleção sub-21 e jogava habitualmente na equipa sub-19 do Futebol Clube do Porto. E, depois disso, muitos títulos alcançou, confirmando o sucesso pessoal e desportivo que se anunciava.

Diogo Costa e Vitinha passaram, no início da sua formação futebolística, pelos “Pinheirinhos de Ringe”, sob a orientação de Adílio Pinheiro e é sabido como as experiências de infância têm o condão de marcar personalidades e de orientar o futuro. Por isso associamos aos êxitos dos craques nossos conterrâneos uma homenagem sincera ao Adílio Pinheiro, homenagem que é forçoso estender a todos aqueles que colaboram desinteressadamente com as estruturas de formação desportiva, qualquer que seja a modalidade e qualquer que seja o clube, pequeno ou grande.

Fazemos votos de que os nossos homens do jogo continuem, ao mais alto nível, a ajudar seleção nacional a superar o próximo adversário e a fazer carreiras de nível mundial nos clubes que representam. Com a certeza de que, pelo que já fizeram, já granjearam a nossa gratidão e são merecedores das maiores homenagens.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

seven + nine =