[Opinião] O novo cenário político

Castro Fernandes CRÓNICAS/OPINIÃO

Escrevo este artigo exatamente antes da audiência que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai conceder a Pedro Nuno Santos, Secretário Geral do PS, e à delegação que o acompanha. Depois das eleições legislativas de 10 de março passado, cujos resultado definitivo falta apurar, porque não está feita a contagem dos votos dos emigrantes que elegem quatro deputados, é conhecida a posição política de Pedro Nuno Santos que na noite eleitoral assumiu a derrota, ainda que tangencial, e assumiu que vai liderar a oposição, com todas as consequências, ao governo liderado por Luís Montenegro, que o PR acabará por indigitar para Primeiro Ministro. Certamente que a posição transmitida ao PR por parte do PS foi a mesma que a anterior.

Nas eleições legislativas de 10 de março verificaram- se, entre outros, dois factos significativos, por um lado o grau de abstenção baixou muito, relativamente aos anteriores atos eleitorais, atingiu um valor que ronda os 33% sem contar os votos da emigração, e por outro lado há a registar que a terceira força política, agora é o Chega com 18,0% a nível nacional (mais de 1.100.00 votos) em contraponto com os 15,2% (6.692 votos) no concelho de Santo Tirso. O Chega subiu a nível nacional de 2022 para 2024, de 7,15 % para 18,0%!

Por outro lado, os partidos todos que compõem a atual coligação AD obtiveram, em 2022 a nível nacional, um valor que ronda 31 % e em 2024 um valor da ordem dos 30 %. Significativa foi a baixa do PS nacional, em 2022, de 41,68 %, para 28,66 % em 2024!

Ao nível do concelho de Santo Tirso o PS baixou, em 2022, de 18485 votos (47,06 %), para 14.894 votos (33,84 %), em 2024.

Os partidos que incluem a atual AD obtiveram no concelho, em 2022, um total de 12.587 votos (31,84%) e em 2024 um total 12.698 votos (28,85 %).  O Chega em 2022 obteve 1.838 votos (4,41 %) e em 2024 obteve 6.692 votos (15,2 %)! O Chega triplicou o número de votos!

Só para relembrar que nas eleições autárquicas de 2021, no concelho de Santo Tirso, a abstenção atingiu o topo máximo de 42,8 %. Na cidade de Santo Tirso ultrapassou os 49%! Nessas mesmas eleições o PS obteve 21.420 votos (60,4 %), a coligação PSD/CDS obteve um valor muito baixo de 6.612 votos (18,63%).

Também na análise comparativa dos resultados dos atos eleitorais em legislativas e autárquicas é importante avaliar a evolução da abstenção, que parece ter-se invertido e baixado muito após 2021 e das possíveis implicações nos resultados e transições de votos. Estas leituras são importantes para se perceber o futuro nomeadamente quanto às eleições autárquicas de 2025 que estão mais perto do que parece. Certamente que todos os partidos estarão a analisar e fazer contas quanto às perspetivas que se colocam e haverá quem deva interpretar bem para que não surjam surpresas!

Quanto à situação nacional muita água vai correr debaixo das pontes, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa ficará como protagonista da situação gerada após 7 de novembro do ano passado, será o responsável pela nomeação de Luís Montenegro como próximo Primeiro Ministro que vai enfrentar grandes dificuldades com a formação do novo governo, com a passagem do mesmo na Assembleia da República e com a aprovação do próximo Orçamento de Estado para 2025.

Aguardemos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

three × one =