[Editorial] Rememoração e louvor

CRÓNICAS/OPINIÃO Diretor

Na passagem dos 35 anos sobre a primeira edição deste jornal e em simultâneo com a comemoração dos 67 anos da Vila das Aves, importa deixar registada uma referência de louvor a quantos, ao longo de muitas décadas dedicaram e dedicam algum do seu esforço a engrandecer a sua terra. Cabem nesta alusão não apenas os que tiveram oportunidade de dirigir os destinos das instituições, mas também todos aqueles que, sem reservas, lhes proporcionaram e proporcionam o estímulo e o apoio necessário.

Nesta edição do Entre Margens, tendo como motivação o aniversário da Vila, fomos ouvir alguém que, pela sua atividade profissional, teve proximidade com a governação autárquica nas primeiras décadas após a elevação a Vila. Entre as muitas estórias que António Martins nos contou, importa reter aquilo que se refere à entrega da rede elétrica da freguesia. É assunto que merece ser aprofundado e esclarecido, numa altura em que os municípios se preparam para renegociar as concessões de distribuição. Que sabemos sobre a valorização que (não) foi feita dum património criado ao longo de décadas por autarcas dedicados que promoveram a eletrificação sob o lema “arranjem os postes, nós damos o cobre”?

Que sabemos sobre a valorização que (não) foi feita de um património criado ao longo de décadas autarcas dedicados que promoveram a eletrificação sob o lema ‘arranjem os postes, nós damos o cobre”?

Américo Luis Fernandes (Diretor)

Já aqui declaramos em tempos que não foi dada aos avenses a oportunidade de conhecer e de debater antecipadamente o “programa” do Parque do Verdeal, constatando-se com o decorrer das obras que, das valências anunciadas durante décadas, não ficaram senão as promessas. Sabemos que as obras do caminho-de-ferro absorveram boa parte da área disponível e que isso condicionou o projeto. Mas, ainda assim é curioso descobrir, quando a obra o vai revelando, que terá um parque infantil. Nesta edição do Entre Margens damos conta da iniciativa pessoal do jovem basquetebolista Simão Ribeiro de candidatar a sua vila a receber um campo de basquetebol, concurso que venceu, com o apoio e dedicação de familiares e amigos. A sugestão que queremos reforçar aqui é que seja o Parque do Verdeal a receber esse equipamento. Um projeto daquele requinte implantado no espaço aberto depois do parque infantil vai valorizar o parque, valorizar a vila e dar visibilidade ao basquetebol de ocupação de tempos livres que pretende promover.

O aniversário da Vila é também notícia nesta edição e o lançamento de nova “identidade”, seja identidade gráfica ou visual, foi um dos momentos assinalados em cerimónia oficial. Ora o logótipo dado a conhecer e que surge como assumido, de algum modo oblitera o substrato da própria comemoração. Sabemos bem qual é o nome oficial da freguesia mas, ainda assim, estranha-se.

O aniversário do jornal cumpre-se com mais uma edição feita com a dedicação e o empenho do costume. Confortam-nos a boa reputação em que nos têm assinantes, anunciantes e leitores e as mensagens de parabéns que nos fizeram chegar. Prova de qualidade foi ter obtido, novamente, a Declaração de Interesse Cultural do Ministério da Cultura mediante a análise de edições impressas e de fundamentação sólida, o que nos permite o acesso ao regime de mecenato cultural. Apelamos por isso ao apoio mecenático por parte de quem considere ajustado fazê-lo e ao apoio de quem queira, voluntariamente, ajudar a consolidar um projeto que já vai com 35 anos sem interrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

thirteen − 3 =