[Opinião] As Prendas no Sapatinho

CRÓNICAS/OPINIÃO Rui Baptista

Nesta época do ano é habitual fazermos balanços do que se passou ao longo do ano e, ao mesmo tempo lançamos os planos para o ano seguinte. É nesta altura que se aprovam os Orçamentos e Planos de Actividades para o ano seguinte e, foi na semana passada que a Assembleia de Freguesia de Vila das Aves discutiu e aprovou o Orçamento para 2023.

Ao vermos o Plano de Actividades e o Plano Plurianual de Investimentos (PPI) para 2023 da Junta de Freguesia ficamos com a sensação que os Avenses não se portaram muito bem ao longo de 2022 para terem tão poucas prendas no sapatinho.

De um orçamento de 699.000€, dos quais 326.000€ são para despesas de capital vemos que a Junta de Freguesia vai investir 82% desse valor em duas obras: em 2023 vai ainda pagar a R. D. Afonso Henriques que foi realizada este ano. A outra obra é a requalificação da R. Luis Gonzaga M. Carvalho por 227.000€, claramente um valor abaixo do que é necessário para se fazer uma reabilitação duradoura e eficiente, ao contrario dos mais de 1milhão de euros que foram gastos na rua Ferreira de Lemos em Santo Tirso, com menos de metade da extensão desta.

Outro ponto que nos leva a considerar que o Pai Natal não foi generoso com os Avenses são as verbas que o PPI tem para o Mercado no valor de 7.000€ e para investir em Parques e Jardins no valor de 5.000€.

Apesar de no Plano de Actividades o Executivo se comprometer em intervencionar o mercado e fazer um projecto de requalificação, com 7.000€ nada de estruturante se consegue fazer, praticamente este valor dá para o projecto, se for um projecto de qualidade e que traga futuro e várias valências aquele espaço.

Por seu turno o Executivo promete requalificar o Amieiro Galego, mas deixa apenas 5.000€ alocados nesta rubrica. Questiono, depois de 5 anos de abandono daquele espaço, o que se pretende fazer com este valor?

Outro aspecto que merece preocupação é o facto de a antiga sede da Junta não estar nos planos do Executivo para 2023. Dado o elevado estado de degradação, até as obras de contenção já não são baratas. Pelo menos esperemos que ao longo do próximo ano haja disponibilidade para repor os vidros partidos.

Em suma, efectivamente o Natal não traz muitas prendas aos avenses, mas não sei se é por os Avenses não merecerem mais ou se a Junta é que tem muito pouca ambição.

A prometida coabitação perfeita entre Junta e Câmara, por serem do mesmo partido, supostamente traria muitas vantagens à freguesia, mas o que vimos até agora é que só a Câmara ganhou com essa coabitação. Pois deixou de ter uma voz incomodativa deste lado e, ao mesmo tempo, tem a passadeira estendida para fazerem a sua propaganda.

Espero que esta ausência de ambição da Junta de Freguesia seja colmatada pelos investimentos da Câmara em Vila das Aves no ano de 2023.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ten + eleven =