‘Os 4 Ventos’ querem salvar a democracia do ‘terror’ e da ‘miséria’

Espetáculo procura “acordar a juventude para a participação cívica e democrática” através do cruzamento entre o teatro épico e o hip-hop. Peça estreia hoje e está em cena até 28 de novembro na Fábrica de Santo Thyrso.

Depois do sucesso de “António Marinheiro”, peça com assinatura de Bernardo Santareno que em 2020 trouxe aos palcos tirsenses um teatro de estrutura clássica (mesmo quando comentava sobre esse mesmo formato), a nova paragem criativa da companhia sediada no concelho traz outras inspirações.

“Terror e Miséria na Queda da Democracia”, criação original dos ‘4 Ventos’ sob direção artística de Pedro Ribeiro, vai beber ao teatro épico de Bertolt Brecht, cruzando-o com o espírito e linguagem contemporânea de uma juventude caótica e muitas vezes absurda.

O espetáculo desenvolve-se não como uma narrativa com princípio-meio-fim, mas como uma série de pequenos sketches que foram sendo desenvolvidos através de sessões de improvisação e dramaturgia realizadas na Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Tirsenses, acompanhadas pelo diretor artístico, Carlota Castro (dramaturga) e Alexandre Carvalho (Ciências Políticas Universidade de Coimbra).

O objetivo passava por olhar para a realidade e focar nos fenómenos sociais que a povoam quotidianamente, transformando este títulos e manchetes em vinhetas condensadas de vida.

“Queremos provocar o público com cada cena”, revela Pedro Ribeiro em conversa com o Entre Margens, à entrada de um dos últimos ensaios antes da estreia do espetáculo. “Na forma como cada indivíduo pode pensar e agir na sua vida. Se queremos uma taxa de abstenção menor, temos que pensar que temos que sair de casa. Temáticas trabalhadas de forma muito condensada, muito direta, de leitura quase óbvia.”

No cômputo geral, a ideia passa por “chamar jovens de 16 anos a virem ao teatro e a perceberem que não é só o Frei Luís de Sousa ou Gil Vicente. O teatro tem uma capacidade muito maior de mexer com as pessoas, para além destas ideias clássicas”.

Daí que o próprio processo criativo os tenha incluído. Alunos da Escola D. Dinis tiveram a oportunidade de assistir aos ensaios de dramaturgia em várias fases onde puderam comentar o processo, imbuindo o espetáculo com os seus interesses e uma “estética visual que lhes é familiar”. Porque no final de contas, quem pode mesmo resgatar a democracia do terror e da miséria são efetivamente os mais jovens.

“Terror e Miséria na Queda da Democracia” está em cena na Nave iMod da Fábrica de Santo Thyrso de 25 a 28 de novembro. As reservas podem ser efetuadas através do número 964310500, e-mail ctosquatroventos@gmail.com ou Facebook da companhia. As entradas têm o custo de 10 euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.