Direção do clube avança com pedido para destituição da SAD em tribunal

Segundo adianta a agência Lusa, a direção do clube, liderada por António Freitas, solicita a destituição de Wei Zhao, presidente da SAD, e de Estrela Costa, accionista da Galaxy Believers, empresa que gere a administração.

A direcção do Desportivo das Aves deu entrada na passada terça-feira com uma acção judicial no Tribunal da Comarca de Santo Tirso, a pedir a destituição dos órgãos sociais da SAD.

O processo pode ser consultado no portal Citius, aplicação que concentra informação sobre o sistema judicial português, e foi distribuído na quarta-feira, no qual o clube liderado por António Freitas solicita a destituição de Wei Zhao, presidente da SAD, e de Estrela Costa, accionista da Galaxy Believers, empresa com a maioria do capita da sociedade que gere o futebol profissional dos avenses.

Este é o último episódio do diferendo entre as duas partes, na sequência da incerteza gerada em torno da realização da receção ao Benfica, na terça-feira, no encerramento da 33.ª jornada, que as ‘águias venceram por 4-0, à qual a SAD informou no domingo que não iria comparecer, devido à anulação da apólice de seguro de acidentes de trabalho.

A situação foi resolvida pelo clube no dia seguinte, quando venceu o terceiro mês de salários em atraso.

A formação de Nuno Manta Santos foi impedida de treinar dois dias antes do encontro, no qual os titulares se recusaram a jogar o primeiro minuto e os suplentes abraçaram-se à equipa técnica.

Os futebolistas, treinadores e outros funcionários deslocaram-se em viaturas pessoais até ao estádio no dia do desafio, colmatando o desconhecimento do clube sobre o paradeiro das chaves do autocarro, a cargo da administração de Wei Zhao, que estava estacionado ao lado do veículo que transportou o vice-campeão nacional.

Os jogadores subiram ao relvado pouco depois de a SAD do Aves ter sido absolvida de um processo disciplinar associado ao incumprimento salarial de março a abril, numa decisão do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) idêntica ao desfecho sobre o atraso de vencimentos entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020.

Fonte: Agência Lusa

Fotografia: Vasco Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.