A vida, por agora, faz-se entre quatro paredes

O Entre Margens foi tentar perceber como mudou a vida de uma família desde o decreto do Estado de Emergência, das medidas de confinamento social e de teletrabalho.

De um dia para o outro o dia a dia das famílias transformou-se completamente. Crianças na escola? Não há. Idas para o trabalho? Também não. Visitas em casa? Nem pensar. No espaço de meros dias as rotinas quase automáticas do quotidiano de uma família tipo do concelho de Santo Tirso, deixaram de existir. No seu lugar surgiram um conjunto de regras e deveres que basicamente confinaram os agregados familiares às quatro paredes de suas casas. Afinal, como é viver entre essas quatro paredes, vinte e quatro sobre vinte e quatro horas, sete dias por semana, ainda sem luz ao fundo do túnel?

Vera Silva e Filipe Pires são casados e vivem em Roriz. Têm dois filhos. Miguel, com 8 anos, frequenta a escola básica da Costa, enquanto Ana é apenas uma bebé de 1 ano. Estão há pouco mais de duas semanas em teletrabalho.

[LEIA A REPORTAGEM NA ÍNTEGRA NA EDIÇÃO EM PAPEL DO ENTRE MARGENS]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.