Joana Gama ‘traz’ Erik Satie a Vila das Aves para um delicado jogo de afinidades

Hoje, sexta-feira, pelas 21h30, a pianista Joana Gama toca no Centro Cultural Municipal de Vila das Aves. Neste recital, a obra do compositor francês Erik Satie convive com a de outros autores, como John Cage ou Vítor Rua. Bilhetes têm o custo de 4 euros. 

Em 2016, Joana Gama dedicou-se a SATIE.150 – Uma celebração em forma de guarda-chuva, que assinalou, em Portugal, os 150 anos do nascimento do compositor francês Erik Satie (1866 – 1925). Doze concertos, um por mês, em 12 localidades, foi o propósito inicial, mas iniciativa acabou por ganhar maior dimensão com a pianista a desdobrar-se em inúmeras apresentações um pouco por todo pais, e não só, através do recital a que chamou “I Love Satie”. Recital esste que chega agora a Vila das Aves, onde será apresentado já esta sexta-feira, às 21h30, no Centro Cultural   

Neste espetáculo, a obra multifacetada do compositor francês Erik Satie surge intercalada com a de compositores que o seguiram na exploração do som sem constrangimentos estéticos ou formais. Ou, por outras palavras, as obras de Satie (que convocam ambientes solenes, melancólicos e até dançantes) convivem neste recital com as de Marco Franco, Federico Mompou, Morton Feldman, John Cage e Vítor Rua, num “delicado jogo de afinidades”.

Obras estas que, de resto, ganharam nova expressão com a gravação do disco “Arcueil” (co-edição Miasove / Boca), o segundo que a pianista dedica ao referido compositor francês, editado no final do ano passado. 

Antecedendo a apresentação deste recital, Joana Gama senta-se ao piano para um conjunto de quatro sessões destinadas ao público escolar a que chamou “Eu gosto muito do senhor Satie”. A música de Satie mas também as histórias em torno do compositor francês são convocadas para estas sessões que vão acontecer nas manhãs e tardes dos dias 16 e 17. 

Com ligações familiares a Vila das Aves, Joana Gama (1983) é natural de Braga. Enquanto pianista, desdobra em múltiplos projetos, quer a solo, quer em colaborações, nas áreas do cinema, da dança (nomeadamente com os coreógrafos Victor Hugo Pontes e Tânia Carvalho), do teatro, da fotografia e da música. 
Em 2017 defendeu a tese de doutoramento “Estudos Interpretativos sobre música portuguesa contemporânea para piano: o caso particular da música evocativa de elementos culturais portugueses” na Universidade de Évora. ​
Desde 2013, tem um duo de piano electrónica com Luís Fernandes, com quem editou “Quest” (2014), “Harmonies” (2016, com Ricardo Jacinto), “at the still point of the turning world” (2018, com Orquestra de Guimarães). Em abril de 2019 estrearam, no Teatro Municipal do Porto, uma nova colaboração, desta vez com o Drumming GP. Ainda no ano passado, lançou o álbum “Travels in my homeland” pela Grand Piano e, com base nesse repertório, começou uma colaboração com as Sopa de Pedra. Do seu percurso, especial destaque ainda para a apresentação, em 2018, na Fundação Calouste Gulbenkian da obra “Vexations”, de Erik Satie, durante 14 horas.

O bilhetes para o recital desta sexta-feira, custam apenas 4 euros e encontram-se à venda na Loja Interativa Turismo e no Centro Cultural Municipal de Vila das Aves. O concerto tem início às 21h30.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.