Câmara considera dispositivo da PSP “desproporcionado” no “Quinta a Fundo”

Autarquia tirsense classifica como “injustificado” o aparato policial em torno do convívio de motards “espontâneo” que semanalmente se reúne no Largo Coronel Baptista Coelho.


Em comunicado enviado às redações, a câmara municipal de Santo Tirso assinala que a ação da Polícia de Segurança Pública (PSP) nas noites de quinta-feira no centro da cidade é “desproporcionada e injustificada”. A autarquia reconhece a “competência da PSP para garantir a ordem pública” classificando, contudo, este tipo de ação como “promotora da criação de um ambiente intimidatório, com consequentes efeitos negativos para as atividades económicas”.
No texto pode ler-se que a “câmara municipal de Santo Tirso é a legítima representante da população e não entende de outra forma que essa competência e responsabilidade sejam assumidas por outras entidades. Neste contexto, defenderá, sempre, os interesses da população e dos agentes económicos sediados no concelho, consciente da necessidade de fazer respeitar os regulamentos municipais e leis gerais, nomeadamente em matéria de ruído, regras de trânsito e civismo. Não pode, contudo, deixar de lamentar que as forças de segurança atuem num quadro desproporcionado, face à situação em causa.”
Segundo o Município, “nos últimos cinco anos a cidade de Santo Tirso tem vindo a crescer nos mais diversos setores, entre eles na animação noturna, com particular enfoque no Largo Coronel Baptista Coelho, espaço cada vez mais procurado pelos nossos munícipes e por visitantes de outros concelhos. Com o exagerado dispositivo policial que tem sido montado, a ação da PSP tem afastado as pessoas do convívio das quintas-feiras à noite em Santo Tirso e contribuído para uma divulgação negativa da imagem do Município.”
A Câmara Municipal de Santo Tirso já endereçou uma missiva ao Comando Metropolitano da PSP do Porto, bem como à secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, apelando ao bom senso da atuação da PSP e à reavaliação do dispositivo policial (e não municipal) que tem sido colocado no terreno.

  • 17h50. O artigo foi editado para refletir uma correção por parte da câmara municipal no último parágrafo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.