Carta ao diretor

(Publicada na edição de 27 de setembro do Entre Margens)

O Novo Parque do Amieiro Galego e a
triste realidade nos dias de hoje

Neste verão que
agora terminou, fui quase todos os dias ao Novo Parque do Amieiro Galego. De
garrafão vazio nas mãos para encher na nascente da água sulfurosa do Amieiro
Galego, transpunha os 144 degraus para transportar desta água para casa.

Mas para quem, como eu, conheceu
o Amieiro Galego
antes de 2009 e acompanhou de perto os processos de aquisição de terrenos e também os trabalhos realizados para que aquele
espaço pudesse ser uma realidade como parque público, propriedade da Junta de
Freguesia de Vila das Aves desde 23
de dezembro de 2009, data da 1ª escritura de aquisição de terreno, quero
publicamente dizer, que, como avense, não posso aceitar aquilo que observo no
atual Novo Parque do Amieiro Galego. Desde já informo, para que não
restem dúvidas, que realizei, obviamente, o meu registo fotográfico.

Assim,
não posso aceitar:

  • o total abandono a que este espaço foi deixado pelo
    atual executivo de freguesia, principalmente pelo atual Presidente de Junta a
    quem compete zelar pelos bens da freguesia;
  • a total falta de limpeza. Não falo de situações
    pontuais, falo da completa falta de limpeza por todo o parque e, ainda mais
    grave, durante todo o Verão;
  • que não tenha havido um mínimo de preocupação em
    manter verde, o que já é verde por natureza. Agora, não venham desculparem-se e
    dizer que foi por falta de água;
  • o enorme desleixo que por ali vai. Por exemplo, será
    possível que aquele quadro de informações à entrada do parque, ainda tenha
    afixado um cartaz a anunciar um evento realizado no verão de 2016 e também a
    inauguração do Parque Infantil, realizada em dezembro de 2014?

Também, desde
o primeiro ao último degrau até junto da nascente da água sulfurosa, pude
verificar o total descuido e a falta de limpeza:

  • lixo acumulado
    nos degraus e zonas circundantes;
  • coriscas de
    tabaco às centenas, principalmente no último patamar junto ao rio;
  • garrafas de
    cerveja, latas de refrigerantes e outros lixos espalhados que iam desde o
    parque de estacionamento, às escadas, às mesas de piquenique, à nascente da
    água sulfurosa, prolongando-se mesmo, até ao rio Ave;
  • falta de
    gradeamento junto à margem esquerda do rio Ave, numa zona atingida pelas
    últimas cheias;
  • o enorme silvado
    existente a poente do parque;
  • a iluminação bastante prejudicada e zonas sem
    qualquer iluminação, onde já existe a instalação de pontos de luz;
  • caixotes do lixo
    com as tampas arrebentadas;
  • os mastros para
    bandeiras… despidos, etc, etc.

Que terão
pensado os Avenses e muitos dos nossos emigrantes e turistas que por ali
passaram ao verem tamanho desmazelo?

Tentei resistir
para não falar publicamente sobre este assunto.

Mas, quem me
conhece, sabe que nestas questões, como em muitas outras que digam respeito à
nossa Vila, é-me difícil ficar calado.

Neste caso
concreto, acho que qualquer avense com um mínimo de espírito bairrista, estará de acordo comigo
e também reconhecerá que a Vila das Aves merece muito
mais.

Senhor Presidente da Junta de Freguesia de Vila das Aves, para
terminar esta minha missiva, permita-me perguntar:

O Novo
Parque do Amieiro Galego
, atualmente o único espaço de lazer à
beira-rio na Vila das Aves, não faz parte dos seus projetos e planos de
atividade para uma Vila melhor?

Há razões de
força maior que o impedem de, no mínimo, manter o Amieiro Galego um espaço de
lazer igual àquele que “herdou” como presidente da Junta?

Atualmente a
realidade política partidária de Vila das Aves e do executivo camarário
tirsense, não lhe dá certos privilégios e outros apoios financeiros que possam
dar ao Novo Parque do Amieiro Galego um “cheirinho” dos parques da
cidade?

Pois é…,
politiquices partidárias à parte, Santo Tirso já tem… o Parque da Rabada, o
Parque da Ribeira do Matadouro, o Parque D. Maria II e, em construção, o Parque
da Quinta de Gião (falamos em quantos milhões de euros de investimento?!).

Já agora,
por vontade de um Presidente da Câmara de Santo Tirso
na década de 80, por
coincidência o atual presidente da CMST, os avenses também
têm (há mais de 30 anos),
uma promessa eleitoralista de um parque no
Verdeal. Até hoje, simplesmente um parque virtual.

Mas, para que conste, pois creio que muita gente
ilustre desconhece a nossa história, Vila das Aves tem o Novo Parque do Amieiro Galego por persistência e “Vontade do Povo”.

Vila das Aves, 24 de Setembro de 2018 Carlos Valente

(Presidente da Junta de Freguesia de Vila das Aves de 2002 a 2013)

Foto de 23 de setembro de 2018

Amieiro Galego num passado recente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *