Projeto-piloto para ementas saudáveis implementado nas escolas de Santo Tirso

Alunos do 1º Ciclo e pré-escolar terão acesso a ementas baseadas em frutos secos, como nozes e avelãs, fiambre de aves, pão de centeio, ovo cozido, atum em água ou fruta.

A Escola Básica da Ermida foi cenário para o arranque do projeto piloto “Alimentação Saudável” que a câmara municipal de Santo Tirso vai implementar nas 36 escolas básicas do concelho. O programa, pioneiro no país, está em linha com as prerrogativas do Ministério da Saúde que pretende implementá-lo por todo o país.

Presente na sessão, Fernando Araújo, secretário de Estado Adjunto e da Saúde, deixou rasgados elogios às políticas da área da saúde implementadas pelo Município, considerando-o como “exemplo” a seguir. Segundo o secretário de Estado, Santo Tirso “tem liderado em políticas de promoção da alimentação saudável, da atividade física, do combate ao tabaco”, considerando que são estes bons exemplos que o Governo “quer replicar em vários pontos do país.”

Alexandra Bento, Bastonária da Ordem dos Nutricionistas, classificou a nova ementa como “claramente mais equilibrada e saborosa”, acrescentando que há uma “consciencialização” que é “preciso fazer-se em casa”. A líder corporativa afirmou mesmo que “é preciso mudar a mentalidade, organização e um projeto destes não é estático, é contínuo e de se envolver os pais na alteração de hábitos alimentares.”

Já Joaquim Couto, presidente da câmara municipal de santo tirso, revelou que a escola da Ermida não é uma escola piloto, mas que todas as escolas do pré-escolar e 1º ciclo do concelho já têm este projeto em andamento “com equipas pluridisciplinares de acompanhamento, com fiscalização rigorosa das dietas por nutricionistas para otimizar ao máximo esse guião.”

O autarca sublinha que esta iniciativa “procura promover a alimentação saudável, procura ter uma educação integral nas nossas escolas e procura abordar a questão educacional e da família, da saúde e do ambiente de um modo transversal.”

Relativamente há qualidade das cantinas dos ciclos de escolaridade superiores, que estão fora da alçada das câmaras municipais, o secretário de estado reafirma que essa é uma preocupação e que o Ministério da Educação já implementou medidas que vão aumentar a fiscalização e os padrões de qualidade das refeições dos alunos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.