Oposição unida contra a requalificação na Praça Conde São Bento e Largo Coronel Baptista Coelho

Carta aberta assinada por toda a oposição concelhia pretende que o executivo “repense seriamente a proposta apresentada” para os dois espaços. Joaquim Couto pretende iniciar as obras ainda este ano.

Missiva foi assinada no dia 25 de abril após a sessão solene de comemoração do dia da liberdade e envolveu os dirigentes dos três partidos com assento na assembleia municipal, José Pedro Miranda (PSD), Ricardo Rossi (CDS/PP), Maria Augusta Carvalho (PCP), Henrique Pinheiro Machado (Pra Frente Santo Tirso) e o promotor da petição online com mais de 1200 assinaturas contra as alterações propostas para a Praça Conde São Bento e Largo Coronel Batista Coelho, Daniel Azevedo.

Pode ler-se no documento enviado às redações que os signatários “estão conscientes que a requalificação e reabilitação urbana são fatores são fatores impulsionadores de novas centralidades sociais, culturais e económicas” No entanto, acrescentam, são “preconizadores de uma reabilitação integrada que constitua um contributo inovador para a preservação do património cultural e histórico da cidade”, apelando ao executivo para que “qualquer futura intervenção nestas praças respeite as suas atuais características que sempre as definiram.”

“Como é óbvio não queremos nem vamos descaracterizar as praças”, afirmou Joaquim Couto, citado pela agência Lusa. Ao Entre Margens, a autarquia tirsense fez saber que “pela primeira vez no Município de Santo Tirso, a Câmara decidiu colocar estudos prévios a discussão pública” e que, após três sessões “foi necessário avançar com a realização dos projetos, para os quais estão a ser, inclusivamente, consultados especialistas nas áreas do urbanismo, arquitetura e sociologia.”

No entender do executivo municipal estes estudos prévios para as requalificações da Praça Conde São Bento e Largo Coronel Baptista Coelho “têm por objetivo modernizar a cidade e estão em linha com o plano de mobilidade sustentável”, facto que para os signatários da carta aberta é conciliável com a sua identidade característica. “Os objetivos de cidade inclusiva e sustentável, apresentados como fundamento para o estudo prévio são perfeitamente harmonizáveis com a atual traça característica destes espaços.”

A Câmara de Santo Tirso adianta que os projetos estarão “concluídos até ao final do primeiro semestre deste ano, podendo as obras serem iniciadas no segundo semestre.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.